Terça, 29 de Setembro de 2020
83996891484
Dólar comercial R$ 5,66 0.53%
Euro R$ 6,64 +0.53%
Peso Argentino R$ 0,07 -0.03%
Bitcoin R$ 64.439,9 -1.205%
Bovespa 94.197,25 pontos -0.5%
Economia Auxílio Emergencial

Governo altera regras para ter direito às novas parcelas do Auxílio Emergencial, confira quais são

Além das regras previstas na lei que criou o auxílio emergencial, agora há novos fatores que podem impedir a pessoa de receber as parcelas extras.

03/09/2020 12h52
527
Por: Redação Fonte: Waldey Ideão, com Uol
Governo altera regras para ter direito às novas parcelas do Auxílio Emergencial, confira quais são

A medida provisória publicada nesta quinta-feira (03/09) que prorrogou o auxílio emergencial com mais quatro parcelas de R$ 300 também alterou os critérios de renda para ter direito à ajuda do governo federal.

 

Além das regras previstas na lei que criou o auxílio emergencial, agora há novos fatores que podem impedir a pessoa de receber as parcelas extras.

O governo também excluiu presos em regime fechado e brasileiros que moram no exterior. A MP tem vigência imediata, mas será avaliada pelo Congresso. Confira o que mudou.

Regras de renda e idade foram mantidas

O governo manteve o critério geral de renda. Só tem direito quem tem renda per capita de no máximo meio salário mínimo, ou renda familiar total de até três salários mínimos.

Contudo, há novos critérios relacionados ao Imposto de Renda que podem impedir a pessoa de receber as novas parcelas (veja a seguir).

A idade mínima também permanece: 18 anos, exceto mães adolescentes.

Imposto de Renda de 2019

A primeira lei excluía do programa quem tivesse recebido rendas tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018. Foi usado o mesmo critério, mas atualizado para o ano de 2019, considerando as novas declarações de IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física).

Também foram excluídos os que receberam em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil.

Além disso, fica de fora das parcelas extras quem foi incluído na declaração do IRPF deste ano como dependente em uma dessas condições:

  • Cônjuge
  • Companheiro com o qual o contribuinte tenha filho ou com o qual conviva há mais de cinco anos; ou
  • Filho ou enteado: a) com menos de 21 anos; b) com menos de 24 anos que esteja matriculado em estabelecimento de ensino superior ou de ensino técnico de nível médio

A MP também retira do programa quem tinha, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, incluída a terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil.

Residentes no exterior

Para as próximas parcelas, estão excluídos todos os brasileiros que moram no exterior. Essa regra não existia.

Presos em regime fechado

Outra novidade é a previsão legal de que presos em regime fechado não podem receber as próximas parcelas.

Novo vínculo de emprego ou benefício previdenciário

Pessoas que conseguiram um emprego formal (com carteira assinada) enquanto receberam as primeiras parcelas não poderão receber as próximas.

O mesmo vale para quem obteve benefício previdenciário ou assistencial, como aposentadoria, BPC ou pensão por morte.

A MP diz que o governo pode verificar todo mês se a pessoa teve novo emprego ou benefício e, assim, reavaliar se ela tem direito ao auxílio.

Mulher chefe de família

Foi mantida a regra para que mulheres chefes de família acumulem duas cotas (ou seja, parcelas de R$ 600 a partir da prorrogação). Porém, a mulher nessa situação será a única da família a receber. Antes, era possível somar o auxílio com o de outro membro da família, chegando a R$ 1.800 por mês.

Governo diz que novos critérios são melhores

Em nota, o governo afirmou que houve um avanço na definição dos critérios de quem pode receber. Disse também que levou em consideração apontamentos do Tribunal de Contas da União (TCU), com o objetivo de melhor selecionar o público-alvo do programa e dar uma destinação mais adequada ao dinheiro público.

Como serão os pagamentos

O calendário de pagamento das novas parcelas ainda não foi definido. A MP desta quinta prevê que serão até quatro parcelas mensais de R$ 300.

Todas as novas parcelas deverão ser pagas até 31 de dezembro de 2020, quando acabam o período de calamidade pública e o chamado “Orçamento de Guerra” aprovados pelo Congresso.

De acordo com a MP, a pessoa não precisará pedir a prorrogação —o pagamento deve ser automático e começará após a quinta parcela do auxílio de R$ 600.

Waldey Ideão

Advogado – OAB-PB 13958

Redes Sociais

Instagram: ideao.adv.aposentadoria.inss

 

Face: Ideão Aposentadorias INSS

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Seus Direitos - Ideão Advogados
Sobre Seus Direitos - Ideão Advogados
Aqui teremos informações oficiais e inteligentes do Direito.
Patos - PB
Atualizado às 13h20 - Fonte: Climatempo
38°
Poucas nuvens

Mín. 22° Máx. 38°

38° Sensação
25 km/h Vento
23.9% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (30/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 23° Máx. 37°

Sol com algumas nuvens
Quinta (01/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 23° Máx. 37°

Sol com algumas nuvens
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias