Terça, 11 de Agosto de 2020
83996891484
Saúde coronavírus

Minas Gerais tem a menor taxa de óbitos por coronavírus entre os estados do Brasil

O estado de Minas Gerais começa a flexibilizar e se adaptar ao Novo Mundo

01/08/2020 09h24
493
Por: Redação Fonte: Redação, com JNovo
Minas Gerais tem a menor taxa de óbitos por coronavírus entre os estados do Brasil

Segundo o chefe de gabinete da Secretaria de Estado de Saúde, João Pinho, durante entrevista coletiva nesta sexta-feira (31), Minas Gerais tem a menor taxa de mortes por 100 mil habitantes entre os estados do país. João Pinho apresentou dados compilados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

coeficiente de mortalidade por 100 mil habitantes de Minas é 12,7, o que coloca o estado na última posição em relação às 27 unidades da Federação. Em outras palavras, em Minas são registradas 12,7 mortes para cada 100 mil habitantes, a menor proporção do país. A maior foi registrada no Ceará (83,9), seguido de Roraima (82,7), Amapá (78,5) e Rio de Janeiro (77,3). São Paulo ocupa a 13ª posição, com 49,5. 

“A gente está com a menor taxa do país. A gente fica realmente satisfeito. É importante reforçar que nossos critérios de testagem para óbito são muito bem trabalhados. A gente tem realmente a testagem de todos os óbitos suspeitos. Então este dado está muito próximo da realidade, de fato”, afirmou.

Como Minas é um dos estados que menos realizam a testagem para COVID-19 desde o início do enfrentamento da pandemia, especialistas apontam para subnotificação. No entanto, João Pinho afastou a hispótese de que o bom resultado se deve à subnotificação. Segundo ele, todas as mortes suspeitas são testadas e a taxa, dessa forma está bem próxima da realidade.

João Pinho lamentou as mortes no estado, mas disse que, em comparação a outros estados, os números em Minas estão mais controlados. Ele reforçou que o estado está em um platô na curva de evolução da doença, o que significa a manuntenção em um patamar do números de casos e mortes por alguns dias. Argumentou ainda que, no ápice da doença, os números se mostram controlados, o que demonstra que o governo mineiro seguiu o caminho certo.

Foram elencadas as medidas que, segundo ele, fizeram com que o Estado tivesse um número menor de casos e de mortes. Segundo ele, o governo decretou o isolamento social bem antes de outros estados. Também fez repasses importantes para os municípios, criou 1,6 mil leitos de terapia intensiva, 3,4 mil leitos de enfermaria e comprou 1 mil respiradores. Outra medida, destacada por ele, foi a criação do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES). 

Investimentos

Em quatro meses de pandemia, o Estado de Minas Gerais já repassou pouco mais de R$ 1 bilhão para estruturar a assistência de Saúde nos municípios mineiros.

Equipar a rede pública é a prioridade do governo, tanto como estratégia para enfrentamento da doença no estado quanto como ação de responsabilidade fiscal.

O montante investido é referente a compras de equipamentos, insumos e aparelhos fundamentais para uma melhor condição de atendimento.

“Minas vem fazendo um excelente trabalho, mas precisamos lembrar que estamos lidando com algo imprevisível. Tivemos em alguns lugares do mundo uma segunda onda e não estamos dando a batalha por finalizada. A guerra ainda pode ser muito longa. Em alguns momentos, temos que tomar medidas que desagradam boa parte da população, mas é sempre pensando na saúde dos mineiros. Estou otimista e agradeço o empenho de todos. Todos nós temos que nos esforçar em um momento como este”, disse o governador Romeu Zema (NOVO) em coletiva.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias