Domingo, 09 de Agosto de 2020
83996891484
Geral Escravidão

Idoso é resgatado em condição de trabalho análoga à escravidão. em São Paulo

Homem de 61 anos vivia com a mãe, de 87, em um casebre, em troca de seu trabalho de 11 horas por dia, de segunda a segunda, sem folgas desde 2005

02/07/2020 12h13
227
Por: Redação Fonte: Redação, com R7
Idoso é resgatado em condição de trabalho análoga à escravidão. em São Paulo

Um homem de 61 anos submetido a condições de trabalho análogas à escravidão foi resgatado em São José dos Campos (SP) em uma operação do MPT (Ministério Público do Trabalho), da Gerência Regional do Trabalho da cidade e da Polícia Federal.

O empregador foi preso em flagrante pelos policiais federais por crime de redução de redução de trabalhador à condição análoga à escravidão. A primeira vistoria da operação havia acontecido na última sexta-feira (26).

Sem folgas desde 2005, o idoso trabalhava no local com o manejo de gado leiteiro, de segunda a segunda, das 5h às 18h. Ele havia iniciado o trabalho na fazenda em 1999, e não possuía registro em carteira de trabalho.

 
 

Na fazenda, ele morava com a mãe, de 87 anos, que no passado trabalhou para o pai do empregador. Na pequena casa onde residiam, não havia armários nem geladeira, e o fornecimento de água, vindo de uma mina, era intermitente. O teto não impedia as chuvas de inundar a casa, repleta de infiltrações nas paredes. Os pertences dos dois ficavam ao chão.

Não havia remuneração pelo trabalho do homem, que apenas recebia em troca a moradia precária. Ambos idosos, ele e a mãe se alimentavam com a ajuda de vizinhos e voluntários que doavam cestas básicas.

O MPT firmou um termo de ajuste de conduta com o empregador. Ele deverá cumprir com três obrigações emergenciais: efetuar o registro do contrato em carteira de trabalho no prazo de cinco dias; reformar a casa na qual o idoso residia, providenciando, em no máximo 30 dias, todas as melhorias necessárias para garantir condições dignas de moradia, garantindo a posse da casa e de parte da propriedade ao trabalhador; e garantir o pagamento de uma ajuda mensal de R$ 300 e uma cesta básica mensal no valor mínimo de R$ 100, “até o efetivo pagamento da indenização a título de dano moral coletivo”, de maneira que a quantia futuramente possa ser compensada.

O MPT deve ingressar com ação civil pública pela reparação de todo o período em que o trabalhador ficou sem remuneração, pedindo o pagamento de dano moral individual em decorrência das condições degradantes. Solicitará, também, a quitação de todas as verbas não prescritas do período, como salário, férias, décimo-terceiro, FGTS — tudo isso de forma retroativa relativa aos últimos 5 anos. Até que a decisão seja definida, o idoso receberá uma ajuda mensal.

Segundo a Polícia Federal, a pena para este crime é superior a quatro anos de prisão, portanto a fiança deve ser arbitrada por um juiz. O proprietário da fazenda, que não é réu primário, está preso.

Casebre onde viviam o idoso e sua mãe era repleto de precariedades

Casebre onde viviam o idoso e sua mãe era repleto de precariedades

Divulgação/MPT
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias